DEDETIZAÇÃO!!

Dia 18/09/2017, das 8;00h às 18;00h , será realizado o serviço de dedetização  geral das áreas comuns do Praças Esmeraldas. O condomínio também realizara a dedetização dos 3 ralos de cada apartamento , para melhor eficácia. Portanto neste dia será necessário  um responsável  no apartamento para acompanhar o serviço ou deixar a chave com  o Sr Alvaro.

A dedetização completa para quem optar , favor agendar nos seguintes telefones ; 14-998214208 Edimarcos ou 14-996236688 Alexandre. O valor do serviço de $40,00 deverá ser pago direto com a prestadora do serviço.

Qualquer duvida , entre em contato com o Alvaro.

RECLAMAÇÃO E NOTIFICAÇÃO!

Reclamação e notificação.

O sindico está sempre observando as fachadas dos prédios, atenta aos descumprimentos do regimento interno. Eventualmente, precisa notificar e multar moradores que estão instalando varal e ar-condicionado em lugares impróprios, ou utilizando as janelas para colocar objetos. O que poucas pessoas sabem é que condôminos reincidentes em infrações podem responder judicialmente.

Luiz Cláudio Muricy, advogado especialista em causas condominiais, ressalta que é importante o consenso entre moradores por um bem comum. “O regulamento interno dos condomínios contribui para o bom convívio e para a valorização do espaço”, explica.

Entre os casos que já intermediou de síndico e moradores, Luiz busca expor a importância do respeito e diálogo entre as partes. Mas garante que em alguns situações é difícil manter o acordo pacífico. “Quando as penalidades condominiais não resolvem, é necessário agir judicialmente”, pontua.

O procedimento-padrão em caso de descumprimento do regulamento é notificar o morador que infringiu as regras, depois é aplicada uma multa (cujo valor varia entre 30% e 50% da taxa mensal condominial), em caso de reincidência a multa passa a ser de 100% do valor. Se houver novas reincidências por lei, o infrator pode pagar até dez vezes o valor de contribuição mensal, caso seja estabelecido em assembleia que o comportamento gera incompatibilidade de convivência com os demais condôminos.

Em último caso, explicou Muricy, o morador infrator pode responder judicialmente a uma ação de obrigação de não fazer, tendo de pagar multas até diárias por reincidência de descumprimento. Os condôminos podem ainda em assembleia deliberar o infrator como persona não grata (inimiga do condomínio) e, em caso extremo, expulsar o morador do condomínio, que não perde os direitos ao seu patrimônio, mas fica impossibilitado de usufruir, ou seja, de continuar morando no local.

A moradora “Raquel” aprova as ações de prevenção, para evitar o descumprimento das regras, mas acredita que reclamar de tudo que o vizinho faz causa situações desconfortáveis. “Tem pessoas que reclamam de qualquer coisa que o vizinho faz. Para morar em sociedade, a gente tem que aprender a respeitar as regras, sim, mais principalmente o direito do outro. O varal mesmo é proibido, porém é o jeito que as pessoas se viram para a roupa secar e sinceramente não me incomoda”, diz.

Morar em sociedade

O comportamento dos moradores de condomínio residencial depende do desenvolvimento da cultura de morar em sociedade, do exercício de se colocar no lugar do outro. Pois se hoje a atitude de um morador está incomodando os demais, futuramente pode ser ele a se sentir incomoda do.

Muricy ,afirmou que é mais fácil vigorar um regulamento interno em edifícios mais novos. “As pessoas já vêm morar no lugar participando das decisões de regras de convivência e entendem a importância de se esforçar por interesses comuns.

A aposentada “Maria” considera falta de respeito com as pessoas o maior problema nos condomínios. “A boa convivência só é possível com educação e respeito aos limites do outro”.

Qualquer morador pode fazer sua reclamação no livro ou via e-mail ADM. Para acompanhar a resposta de sua reclamação anexe o seu endereço de e-mail. Texto extraído do sindiconet.